Home
Família
Religiões
Pesquisa
Serviços
Busca
Info
Família Religiões Serviços Busca Pesquisa Info
 
 
Despertar da Consciência
 

Nossos atos precisam ser de acordo com o plano divino.

Antes de se pôr em ação, cada um deve interrogar sua consciência profunda que é a voz de Deus em nós e que nos dirá qual o sentido em que melhor dirigiremos nossos esforços. Deus não atua em nós e conosco, senão mediante o nosso livre concurso.

Quando com sua lei coincidem nossos atos e vontades, o trabalho que executarmos se tornará fecundo e seus efeitos repercutirão em todo o nosso destino.

Todavia, poucos homens escutam a voz que dentro de todos fala nas horas solenes.

Na maioria, arrebatados pelas paixões, pelos desejos, esperanças e temores, lançam-se no turbilhão de vida, para conquistar o que lhes é mais prejudicial; atordoam-se, embriagam-se com a posse das coisas contrárias a seus verdadeiros interesses e só no ocaso da existência se lhe mirram as ilusões e dissipam os erros, ao mesmo tempo que vêem apagar-se a miragem dos bens materiais.

Aparece então o cortejo das tristes decepções e verificam ter sido vã a agitação em que viveram, por não terem sabido ver, estudar e aprender os desígnios de Deus, relativamente a cada um e ao mundo.

Felizes daqueles a quem a perspectiva das existências futuras oferece a possibilidade de retomarem a tarefa desprezada e de melhor empregarem as horas!

O que não soube ver a grande harmonia que reina em todas as coisas e a irradiação do pensamento divino por sobre a Natureza e as consciências, esse é inábil para estabelecer a concordância entre seus atos e as leis superiores.

Ao voltar para o Espaço, caído o véu, sentirá a amargura de reconhecer que terá de recomeçar todo o trabalho, animado de outros propósitos e de uma concepção mais justa, mais elevada do dever e do destino.

A desatenção, a indiferença com que encaramos as coisas do Alto e suas manifestações na existência terrena, eis a origem de nossas irresoluções e incertezas que geram dores decepçôes. Para aquele que as invoca, que as solicita, que as espera, elas nunca se conservam mudas: por mil vozes lhe falam claramente ao ouvido, ao coração.

Ocorrerão fatos, surgirão incidentes, que por si sós lhe indicarão as resoluções a tomar. É na própria trama dos acontecimentos que Deus se revela e nos instrui.

Compete-nos compreender, no momento oportuno, o misterioso aviso que, meio velado, ele nos dá, sem a nós impor.

 
Fonte:
Data: 19/11/2007
 
 

Voltar

 
 
 
 
 
 
 
 

Copyright ©2002 - Vida Perpétua Serviços S/C Ltda.