Home
Família
Religiões
Pesquisa
Serviços
Busca
Info
Família Religiões Serviços Busca Pesquisa Info
 
 
ESTRESSE INFANTIL: até as crianças sofrem deste mal
 

Criança também se estressa
O estresse é uma reação do corpo a uma situação adversa. E isso pode acontecer com um adulto, quando tem um dia tenso, por exemplo, ou com uma criança, quando enfrenta uma discussão com um colega de classe ou mesmo se leva uma bronca da professora.
Você está achando um exagero? Pois, acredite! A criança fica estressada como os adultos. Aliás, essa situação é mais comum do que se imagina. Desde muito cedo os pequenos são submetidos a uma rotina militar que inclui aulas de natação, balé, judô, informática e ainda depois de tudo isto precisam fazer a “massacrante” lição de casa. Ufa! Mas, será que sobrou um tempinho para brincar?
É exatamente isto que falta às crianças. Atividades simples, não obrigatórias podem tornar o dia-a-dia do seu baixinho mais agradável.
O estresse infantil pode aparecer em qualquer idade, inclusive em bebês. Pais estressados costumam transferir as cobranças que recebem do ambiente de trabalho aos filhos. Este problema, se não for resolvido logo, pode acabar prejudicando o desempenho escolar, as relações familiares e sociais.
Você que convive com crianças, preste bastante atenção aos sinais de estresse. Verifique se ela está com algum deles:
*Irritação, mesmo quando não há motivo aparente;
*Isolamento: a criança deixa de conversar com os pais e amigos e quer sempre ficar sozinha;
*Mudanças genéricas no comportamento: por exemplo, a criança sempre gostou de ir à aula de inglês, mas passa a fazer birra toda vez que chega perto do horário da aula;
*Mudança nos hábitos alimentares: mostra desinteresse pela comida, mesmo pelas que mais gosta;
*Mudança nos hábitos de sono: a criança dorme demais e está sempre cansada;
*Problemas digestivos: acidez no estômago e reclamações de dor de barriga;
*Ansiedade;
*Problemas no desempenho escolar, esportivo ou social
Se apresentar, procure saber se há algo errado e como você pode ajudar.
O grande desafio dos pais é entender o limite entre estimulação e pressão. Uma conversa em família consegue esclarecer isso.

 
Fonte:
Data: 12/4/2002
 
 

Voltar

 
 
 
 
 
 
 
 

Copyright ©2002 - Vida Perpétua Serviços S/C Ltda.