Home
Família
Religiões
Pesquisa
Serviços
Busca
Info
Família Religiões Serviços Busca Pesquisa Info
 
 
Espiritualidade: Pai-Nosso, a oração para rezar com o corpo todo
 

Suas frases sintetizam os princípios do cristianismo e nos dão uma lição de como conduzir nossas palavras, nossos pensamentos e nossas ações para cultivar o amor ao próximo e o perdão. Conheça o significado e aprenda os gestos que correspondem a cada frase dessa poderosa oração cristã.

Jesus rezou essa prece pela primeira vez no ano 29. Foi, portanto, um de seus primeiros ensinamentos. O pai-nosso sintetiza os principais pontos do cristianismo: o encontro com um Deus amoroso, o reconhecimento da essência divina em cada um de nós, o amor ao próximo e o perdão, que foram os temas das principais parábolas de Jesus.

Gestos de meditação
Algumas práticas cristãs antigas foram adaptadas pelo americano Neil-Douglas Klotz, psicólogo e membro da Academia Americana de Religião, no livro Orações do Cosmos (ed. Triom), de onde extraímos a interpretação e as indicações dos gestos dessa prece:

Pai nosso que estais no Céu,
Com a mão na testa, a oração começa relembrando nossa origem divina: não somos apenas homens feitos de barro, nossa alma tem uma natureza sagrada. Deus é nosso Pai, a fonte que criou todo o Universo (o céu), mas que vive em nós, pois somos seus filhos. Jesus costumava chamar Deus de uma maneira afetiva (abba, ou paizinho) – a expressão Pai Nosso nos lembra que esse pai é amoroso e compreensivo. Recordamos que nossa origem nos une tanto a planos superiores como a nossos semelhantes.

Santificado seja o Vosso nome,
Deus criou o Universo com o sopro sagrado, e foi esse som primordial que moldou a matéria. Essa frase nos convida a pensar no aspecto sagrado das palavras que pronunciamos, pois o som é uma das manifestações de Deus. A mão toca a boca, que simboliza os cinco sentidos e, ao louvar essa vibração primordial, lembramos que somos uma expressão do sagrado. Respeitar nossos sentidos significa honrar o que somos.

Venha a nós o Vosso reino,
Nessa invocação, feita com a mão sobre o peito, pedimos o nascimento de uma nova ordem dentro de nós, que esteja relacionada à ordem celeste e não apenas ao plano terreno. Essa força organizadora une, perdoa, leva as outras pessoas em consideração e se manifesta em atos de amor e compaixão. Essa é a realidade desse pai amoroso, que nos quer bem — e é esse reino que desejamos que nasça em nosso coração.

Seja feita a Vossa vontade
Talvez seja essa a frase do pai-nosso que seja mais difícil de colocar em prática. Se queremos o nascimento desse novo reino de amor em nossa alma – que transforma nosso modo de ser, pensar, sentir e agir –, temos de nos submeter à vontade divina, que muitas vezes pode não coincidir com a nossa. Não é nosso desejo que prevalece, mas a vontade d’Aquele que enxerga mais e melhor do que nós. Essa frase é rezada com a mão sobre o plexo solar, região associada à vontade pessoal e à expressão do ego.

Assim na terra como no céu,
Na parte mais baixa do tronco, está ancorada a possibilidade de gerar a vida — uma associação clara com a função dos órgãos sexuais e ao sexo, o impulso de vida mais terreno. Porém a oração nos faz recordar que existe a possibilidade de união entre o plano terreno e o divino — isso acontece quando a vontade de Deus se expressa no mundo material, toda vez que o amor prevalece em nossas ações. Esse é o ponto de retorno a Deus — e aqui a oração corporal volta a subir pelo corpo, em direção à cabeça e ao céu.

O pão nosso de cada dia, nos dai hoje. Perdoai nossas ofensas, assim como nós perdoamos quem nos tem ofendido
A mão sobre o estômago relaciona-se ao alimento espiritual. A tradução da palavra pão em aramaico é “pão consubstancial” (essa expressão, inclusive, faz parte do pai-nosso rezado na Igreja Ortodoxa Russa). Quer dizer, para que o reino celeste floresça em nosso coração, temos de nos alimentar espiritualmente. Essa vivificante comunhão diária com o sagrado é feita com base em orações, meditações, dedicação das ações cotidianas a Deus, leituras do Evangelho e também por meio da eucaristia.

Não nos deixei cair em tentação, mas livrai-nos do mal,
A maioria das ações que contradizem a lei divina do amor se origina em nosso desejo, cultivado pelos cinco sentidos, simbolizados pela boca. Mas, assim como eles podem trazer a infelicidade, também podem levar à comunhão com Deus. Cabe honrá-los e respeitá-los. Como somos vulneráveis, pedimos o auxílio divino para que isso se cumpra.

Pois Vosso é o poder, a glória e a majestade.
Essa frase faz parte do pai-nosso descrito pelo evangelista Mateus, mantida pela Igreja Cristã Ortodoxa. Fala do reconhecimento ao esplendor divino da Santíssima Trindade: Deus Pai (o poder), Deus Filho (a majestade) e a Glória (Deus Espírito Santo).

Amém.
Para fechar o ciclo anunciado pela oração, as mãos unidas voltam ao coração, o centro do amor divino, e pronuncia-se a palavra amém, que quer dizer “assim seja”.

 
Fonte:
Data: 11/8/2003
 
 

Voltar

 
 
 
 
 
 
 
 

Copyright ©2002 - Vida Perpétua Serviços S/C Ltda.