Home
Família
Religiões
Pesquisa
Serviços
Busca
Info
Família Religiões Serviços Busca Pesquisa Info
 
 
Auto-conhecimento: a sorte está em suas mãos
 

Quantas vezes a vida nos sorri e o universo conspira a nosso favor? Nessas horas, temos certeza de que a sorte anda ao nosso lado. Porém a impressão mais comum é que ela é algo totalmente fora de alcance. Acredite, é possível atrair a boa fortuna e ser pé-quente com empenho, convicção e autoconfiança.

Todo mundo conhece uma pessoa com muita sorte, a quem a vida parece sorrir a todo instante. Nem precisa ser alguém que ganhou na loteria: é o colega de trabalho que consegue boas posições sem fazer um grande esforço aparente ou a amiga cujos relacionamentos amorosos sempre transcorrem de maneira tranqüila, harmoniosa, fácil. Você mesmo pode ser uma dessas pessoas que parecem ter nascido viradas para a lua. Quase sempre consideramos os lampejos da boa fortuna indefinidos, inexplicáveis, frutos do acaso ou do destino, inclusive como define o dicionário. Algo que simplesmente se tem ou não, certo? Errado.

A sorte não é simples questão de casualidade, separada de nossas ações, desejos e pensamentos, ser ou não ser uma pessoa afortunada, no amor ou no trabalho, depende também de nossa postura frente à vida, de nossa atuação, empenho, talento e mérito. Muitas vezes fica até difícil separar o que nos chega por meio da sorte ou pelo esforço pessoal. Quase sempre uma pessoa que parece apenas sortuda é alguém atento, que aproveita as oportunidades para abrir caminhos. E depois que alcança seu objetivo, além de desfrutar o sucesso, cuida de manter a posição que conquistou.

Ser ou não ser uma pessoa afortunada nas relações amorosas exemplifica bem como funciona essa química entre os sopros da sorte e a postura perante a vida. É verdade que o conceito de sorte no amor é elástico: para uns, é encontrar o companheiro ideal, ter um relacionamento estável e duradouro, e para outros, atrair vários parceiros interessantes. Mas uma coisa é certa: por mais que o encontro tenha caído do céu, nenhum romance se concretiza ou dura se não houver disposição de ambas as partes. Se a vida coloca o amor a nossa frente, precisamos estar abertos e disponíveis para receber esse presente. E, se não cultivarmos o relacionamento, não haverá sorte no mundo capaz de nos fazer felizes.

Gere positividade
Disposição e receptividade são fundamentais para atrair a sorte em qualquer área da vida. A sorte nasce dentro de nós. Se queremos algo de todo coração e acreditamos plenamente que é possível concretizar uma meta, criamos uma positividade que nos impulsiona para a frente. O corpo e a mente começam a funcionar juntos para esse objetivo. Sentimos muito mais disposição para trabalhar ou estudar, dormimos menos horas sem sentir cansaço, o cérebro trabalha mais, o pensamento fica aguçado, como se todas as nossas faculdades se integrassem. Nos tornamos verdadeiras antenas, atraindo boas vibrações.

Nem todo mundo, porém, sabe como explorar esse potencial. Algumas pessoas têm mais capacidade de focar suas metas e batalhar por aquilo que desejam, enquanto outras se dispersam no meio do caminho. E a sorte é o resultado dessa delicada equação, os desígnios do Universo conspirando a nosso favor e a qualidade da energia que colocamos em nossos desejos.

Peça para si e para os outros
O Universo nos concede tudo o que pedimos a ele de forma legítima, mesmo que de forma inconsciente, e fazemos por merecer. Quando nossas metas e nossos projetos de vida beneficiam não apenas a nós mesmos mas também outras pessoas, a vibração benéfica vai se ampliando ao redor e cada vez mais atuando a nosso favor. Às vezes, consideramos pura sorte alguém alcançar um posto ou obter um benefício para o qual supostamente não possui nenhum talento ou mérito. Como podemos julgar qual a missão e quais os sonhos dessa pessoa? O que ela oferece a sua família, a seus colegas, a sua comunidade para que o Universo retribua de forma tão generosa?

Não julgue
Nesses momentos, precisamos combater a tendência – que é natural, mas nem por isso menos prejudicial – de julgar a tudo e a todos segundo nossos padrões e medidas. São valores que funcionam para nós, mas dificilmente servem para todas as pessoas, em todas as circunstâncias. De qualquer maneira, todo mundo conhece alguém que perdeu o emprego e, mesmo em tempos tão difíceis, logo encontrou outro, às vezes até melhor do que o anterior. Seria mera questão de sorte? A chave do sucesso dessa pessoa está provavelmente na crença que tem em si própria, na consciência de seu valor, o que acaba atraindo o que precisa.

A autoconfiança é a alma gêmea da sorte. E sua pior inimiga é a dúvida sobre nossas próprias capacidades, que provoca insegurança e compromete a auto-estima, criando um círculo vicioso.

Lições da vida
Se o carro quebrou, você não recebeu a promoção, perdeu o avião ou o namorado, em vez de culpar os outros, seu chefe, a família, o relógio ou o destino, ouça o que a vida lhe diz. As marés de sorte ou azar nos mostram as lições que precisamos aprender. Em alguns momentos, o Universo nos chama a atenção de forma dura, dolorosa. Tudo depende de encararmos os reveses com pessimismo e negatividade ou, por outro lado, como chance de aprendizado e crescimento. Enxergar de um modo ou do outro é uma escolha absolutamente pessoal.

Pensamento e destino Moldamos o destino com nossos pensamentos. Se acreditarmos que ele é imutável e não temos nenhuma responsabilidade ou influência sobre ele, fica fácil culpá-lo por qualquer adversidade. Mas, se assumirmos nossas falhas, descobriremos que, por meio da atenção e da autoconfiança, somos capazes de transformar o destino e conquistar a sorte.

 
Fonte:
Data: 2/7/2003
 
 

Voltar

 
 
 
 
 
 
 
 

Copyright ©2002 - Vida Perpétua Serviços S/C Ltda.