Home
Família
Religiões
Pesquisa
Serviços
Busca
Info
Família Religiões Serviços Busca Pesquisa Info
 
 
Cidadania: caminhos da tolerância
 

Com ela é possível aceitar, até com simpatia, o amigo que adora uma picanha, mesmo quando somos vegetarianos convictos. Ou apreciar o ponto de vista de um budista, mesmo quando somos católicos fervorosos. Respeite o gosto dos outros e observe como sua vida se modifica.

O exercício da tolerância inclui, em primeiro lugar, o respeito a outra pessoa. Isso não significa concordar incondicionalmente com o que está sendo dito, anular sua opinião ou se submeter ao que nos violenta ou faz mal. A tolerância nos permite considerar que existem, sim, diversas formas de olhar para a vida, outras maneiras de ser ou vários tipos de ideal. E que opiniões diferentes das nossas não significam, necessariamente, uma afronta pessoal. Admitimos que há uma multiplicidade de escolhas.

Ser tolerante é perceber, entender e aceitar as diferenças sem renunciar a princípio e valores pessoais. Essa capacidade de aceitar, compreender e tolerar está presente nos momentos mais banais do cotidano. Para desenvolver a tolerância, devemos enxergar o mundo com os olhos dos outros, ser tolerante é requisito fundamental para ter com mais tranqüilidade e paz de espírito.

Conhecer mais a nós mesmos, nossos valores mais profundos, no que acreditamos realmente, importante também é aceitar a si próprio. O perfeccionismo é um sintoma de que não aceitamos nossas próprias imperfeições. E a prática da tolerância propõe muita compreensão e paciência, primeiro com nós mesmos e depois nos relacionamentos no casamento, no trabalho, na escola.

Seremos mais felizes quando conseguirmos concretizar um dos itens principais da Declaração de Princípios da Tolerância, redigida pela Unesco em 1995. Diz o texto da declaração: “A prática da tolerância significa que cada pessoa é livre para escolher suas convicções e aceita que seu semelhante possa usufruir da mesma liberdade”.

Para praticar todos os dias

- Avalie se suas opiniões sobre determinadas pessoas ou grupos não estão baseadas em preconceitos. - Invista no autoconhecimento, investigue quais são suas crenças reais.
- Evite julgar pessoas ou acontecimentos precipitadamente, sem refletir.
- Adote uma atitude aberta face a estilos de vida diferentes do seu.
- Tente aceitar as outras pessoas como são.
- Procure ser mais tolerante consigo mesmo. Aceite seus erros e defeitos.

 
Fonte:
Data: 17/4/2003
 
 

Voltar

 
 
 
 
 
 
 
 

Copyright ©2002 - Vida Perpétua Serviços S/C Ltda.