Home
Família
Religiões
Pesquisa
Serviços
Busca
Info
Família Religiões Serviços Busca Pesquisa Info
 
 
Cemitério de Escravos é Achado em Terras de Ex-presidente dos EUA.
 

Um cemitério de escravos foi encontrado em um bosque de Monticello, a propriedade rural no Estado de Virgínia que pertenceu a Thomas Jefferson, o terceiro presidente dos Estados Unidos e autor da declaração de independência do país. A descoberta já era esperada e foi anunciada pelos administradores do local. Nos últimos meses, equipes especializadas escavaram 20 sepulturas, após identificar depressões retangulares no terreno, alinhadas e voltadas para leste (um costume cristão da época), além de várias lápides. Estima-se que haja entre 40 e 110 tumbas no total. Há cerca de dez anos os arqueólogos da Thomas Jefferson Foundation suspeitavam da existência do cemitério. A escavação começou em fevereiro, como parte de um completo levantamento arqueológico do terreno de 809 hectares. O cemitério fica em um pequeno bosque, a cerca de 600 metros da casa grande. Antes uma área isolada da fazenda, hoje o cemitério é cercado por um estacionamento usado por 500 mil turistas anualmente. Os técnicos precisaram escavar entre 23 centímetros e 1,5 metro para atingir as covas. Eles disseram que não pretendem continuar mexendo no local. ``Achamos que não haveria restos suficientes para justificar que continuássemos com a invasão'', disse Daniel Jordan, presidente da fundação. ``Tratamos o local como um legado sagrado.'' Entre as covas analisadas, foram encontrados dez adultos, oito crianças e dois corpos com idade indeterminada. A fundação ainda não decidiu como incorporar a descoberta à exposição histórica do local. Ao longo da vida de Jefferson, cerca de 130 escravos trabalharam na fazenda, cuidando da lavoura de milho e dos rebanhos ou na produção de pregos, barris, roupas e carruagens. Os escravos também construíram a casa principal da fazenda, com vista para a Universidade de Virgínia, fundada por Jefferson. Historiadores acreditam que 114 desses 130 escravos morreram enquanto Jefferson estava vivo. Apenas 55 corpos tiveram seu destino registrado. Os mapas da fazenda deixados por ele não apontavam o cemitério recém-descoberto. Nos mapas, a área escavada é chamada simplesmente de ``O Parque''. Era um lugar para depositar pedras dos campos adjacentes e para o descanso dos proprietários. Durante algum tempo, o terreno foi parte de um projeto para a plantação de tabaco. A descoberta acontece no momento em que os descendentes de uma das escravas de Jefferson, Sally Hemmings, reivindica o direito de que ela seja enterrada no cemitério da família do ex-presidente. Testes genéticos em 1998 confirmaram que pelo menos um dos filhos dela era também filho de Jefferson. Em seu testamento, Jefferson, que morreu em 1826, libertou dois filhos de Hemings, Eston e Madison. A escrava foi enterrada no quintal de sua casa. No ano passado, a Thomas Jefferson Foundation concluiu que Jefferson era o pai de ``um, se não de todos'' os filhos de Hemings. Mas a Monticello Association, que reúne os descendentes brancos do presidente, recusa-se a aceitar os parentes de Hemings como seus primos, hipótese em que eles teriam direito a sepultura perto de Jefferson. A associação determinou que um comitê estude o caso e apresente sua conclusão na reunião anual da família, no mês que vem.

 
Fonte: Reuters em Charlottesville (EUA)
Data: 11/4/2001
 
 

Voltar

 
 
 
 
 
 
 
 

Copyright ©2002 - Vida Perpétua Serviços S/C Ltda.